Skip to main content

Search

Search

A melhor forma de tratar a gripe e a constipação

O tratamento mais comum para as infeções respiratórias agudas causadas por vírus consiste em mitigar os sintomas, enquanto a doença continua a evoluir e as defesas do organismo eliminam os vírus. Assim sendo, devemos selecionar os medicamentos que melhor se adaptam em cada caso aos sintomas que apresentamos e pretendemos aliviar.

  1. Analgésicos e antipiréticos:
    Aliviam as dores de cabeça e musculares, características da gripe e constipação, incluindo os incómodos associados aos processos febris. Exemplo: paracetamol.
  2. Anti-histamínicos:
    Podem ser de administração tópica ou oral. Ajudam a reduzir os sintomas associados ao processo alérgico, como a comichão e a secreção nasal ou os espirros, pelo que também são administrados nos casos de gripe e constipação. Exemplo: clorofeniramina.
  3. Descongestionantes:
    Podem ser de administração tópica ou oral. Atuam reduzindo a inflamação das mucosas nasais, melhorando a capacidade de respirar. Regra geral, aconselha-se uma utilização máxima de 3-4 dias. Exemplo: pseudoefedrina.
  4. Antitússicos:
    Aliviam a tosse seca, não produtiva, inibindo o reflexo da tosse. Facilitam o descanso noturno da pessoa com este sintoma.
  5. Mucolíticos/expetorantes:
    Ajudam a eliminar o excesso de mucosidade. Os mucolíticos regulam a composição e consistência do muco, tornando-o mais fluido, o que facilita a sua expulsão. Os expetorantes aumentam o volume das secreções brônquicas e diminuem a respetiva viscosidade. Exemplo: carbocisteína, guaifenesina.
  6. Antisséticos e anestésicos locais:
    Indicados para o tratamento de infeções ligeiras da boca e da faringe que, regra geral, ocorrem com dor e sem febre. Os antisséticos são utilizados no caso de infeção bacteriana, enquanto que os anestésicos locais ajudam a mitigar ou diminuir a dor, aliviando temporariamente a dor de garganta.

A gripe e a constipação são doenças de origem vírica que apresentam quadros clínicos diversos e multissintomáticos.

O tratamento mais habitual da gripe e da constipação tem como objetivo mitigar ou controlar os sintomas ou mal-estar derivados deste tipo de infeções.

A eleição de um determinado tratamento dependerá de caso para caso, considerando a variabilidade dos sintomas do doente e a existência de outros fatores (doenças, idade, etc.) coexistentes.

Os antibióticos não curam as constipações, pois não são eficazes na eliminação do vírus. Só devem ser administrados, segundo prescrição e supervisão médica, no caso de sobreinfeção bacteriana e em determinadas populações de risco.

Para além do tratamento farmacológico, alguns tratamentos não farmacológicos poderão ajudá-lo a sentir-se muito melhor.

Saiba mais sobre os vírus que causam a gripe e a constipação e a duração destas patologias.